Área de Integração: Tema-problema 4.1 – A identidade regional

 

 

 

 

 

 

Resumo do Tema 4.1 de Área de Integração

Preencha os espaços lacunares para completar o texto que resume o tema 4.1 de Área de Integração, “A identidade regional”

Complete os espaços em branco (lacunas). No final do exercício, clique em “Check”. Para receber uma dica, clique em Hint.


“Antiga, mui nobre, sempre leal e invicta cidade do Porto”.
A Escola Secundária Fontes Pereira de Melo insere-se na região do , Norte de Portugal, Noroeste da Península Ibérica, na Europa Ocidental. Uma é uma área geográfica que forma uma unidade distinta, tendo em conta determinadas caraterísticas. Nesta região, a principal cidade é o Porto, uma cidade com pouco mais de 41 km2 de área e cerca de 240 mil habitantes, sede da área metropolitana do Porto, com mais de 1,7 milhões de habitantes, e núcleo estrutural da região . O Porto é a cidade que deu nome a Portugal: em 200. A.C., designava-se Portus Cale, tornando-se mais tarde a região sede do Condado Portucalense, a partir do qual se formou . Trata-se de uma das cidades mais importantes do noroeste peninsular.
O Porto tem um clima , com temperaturas a oscilar entre os 5º e os 14º no inverno e os 15º a 25º no verão. Esta amplitude térmica amena está relacionada com a proximidade do oceano.
A é uma técnica de representação gráfica de altitudes, através da utilização de mapas hipsométricos. Esses mapas apresentam um código de cores que representam a topografia do local. Em alternativa, neste módulo utilizamos a palavra relevo para designar a variação da altitude, forma e dimensão das paisagens desta região.
De um modo geral, o norte do país é mais montanhoso e acidentado, com várias serras e planaltos. No caso da região do Porto, verifica-se que o ponto de mais baixa altitude se situa ao nível do mar, enquanto o ponto mais alto da cidade está localizado na zona do Monte .
A é o ramo da Geografia que estuda as águas da superfície terrestre. Neste caso, estudaremos os cursos de água na região em que se insere a Escola. Uma rede hidrográfica é o conjunto de um rio e dos seus afluentes.
O principal rio da região é o , um rio internacional que nasce em Espanha (Rio Duero), na Serra de Urbión, e que, sendo o terceiro maior rio da Península Ibérica, tem 897 km de extensão, demarcando a fronteira entre os dois países em 112 dos seus quilómetros. Trata-se de um rio com grande importância económica e histórica na região, nomeadamente pelo turismo e pelo Vinho do Porto, que era transportado em barcos Rabelos desde o Alto Douro Vinhateiro até às caves, em Vila Nova de Gaia, na margem esquerda do Douro. Além de estar ligado ao vinho e ao turismo fluvial, o Douro é também fonte de riqueza pela energia elétrica e pelo peixe fornecidos às populações. É na Foz do Douro, no Porto, a menos de 4km em linha reta a partir da Escola, que encontramos o local onde o Rio Douro desagua. O Parque Natural do Douro Internacional é considerado um património natural. A designação “património natural” aplica-se aos locais com caraterísticas físicas, biológicas ou geológicas consideradas extraordinárias.
A é o conjunto das espécies animais que vivem numa determinada região, enquanto a diz respeito à vegetação que podemos encontrar nessa mesma região.
A vegetação do norte de Portugal é constituída essencialmente por florestas de folha caduca ou mista. No distrito do Porto, predominam o pinheiro marítimo e o carvalho.
Sendo uma cidade, na região do Porto destacam-se sobretudo os parques urbanos e ambientais: Parque da Cidade, Jardins de Serralves, Parque de São Roque, Parque Oriental, Parque de Gaia, Zoo de Santo Inácio.
O património é o conjunto dos bens, paisagens naturais e tradições com interesse histórico, arqueológico, artístico, científico, social ou técnico. Do património fazem parte elementos tais como o relevo, a hidrografia, a vegetação e a fauna. Do património cultural fazem parte elementos tais como a agricultura, a indústria, o artesanato, a arquitectura, mas também o património cultural imaterial, de que fazem parte a gastronomia, a música, os rituais, os costumes, a literatura oral, etc.
O património é o conjunto de bens de elevado valor, tais como edificações (castelos, casas, igrejas ou outras construções), locais de interesse (praças, aldeias, sítios arqueológicos) e obras de arte (pinturas, esculturas, etc.). Essas edificações, locais ou obras têm interesse histórico, estético, arqueológico, científico, etnológico e antropológico, representando testemunhos com valor civilizacional ou cultural. Precisamente pela sua importância histórica, cultural, civilizacional, os elementos do património cultural devem ser preservados porque são eles que “contam a história” dos povos que ali habitam, formando a sua regional.
Um dos momentos mais significativos do património imaterial do Porto é a Festa de São João, a festa com mais forte tradição da cidade.
Uma é algo que passa de geração em geração, tais como festas e romarias, lendas e histórias passadas através da literatura oral, artesanato, etc. Por exemplo, as receitas gastronómicas tradicionais fazem parte da literatura oral que passa de geração em geração, como é o caso das receitas de à Moda do Porto. Segundo o historiador Joel Cleto, o Infante D. Henrique, precisando de abastecer as naus para a tomada de Ceuta na expedição militar comandada pelo Rei D. João I em 1415, pediu aos habitantes da cidade do Porto todo o género de alimentos. Todas as carnes que a cidade tinha foram limpas, salgadas e acamadas nas embarcações, ficando a população sacrificada unicamente com as miudezas para confeccionar, incluindo as tripas. Foi com elas que os portugueses tiveram de inventar alternativas alimentares, surgindo assim o prato “Tripas à moda do Porto”, que acabaria por se perpetuar até aos nossos dias e tornar-se, ele próprio, um dos elementos gastronómicos mais característicos da cidade. De tal forma que, com ele, nascia também a alcunha “tripeiros”, como ficaram a ser conhecidos os portuenses desde então. Assim se mostra como a gastronomia pode ser importante na definição da identidade cultural de um povo, de uma região. Também o Vinho do Porto, produzido no Alto Douro e armazenado em Vila Nova de Gaia, é essencial na identidade da região. Manoel de Oliveira, uma das personalidades mais ilustres do Porto, realizou um pequeno documentário sobre o Douro e a faina fluvial, em 1931.
Além da lenda das Tripas, outras lendas são importantes marcos identitários de uma região, como é o caso da Lenda da Fonte da Moura ou o Fantasma de São Bento.
O centro histórico do Porto é Património Mundial da UNESCO desde 1996. Em toda a cidade encontramos várias edificações importantes: Sé Catedral, Igreja de São Francisco, Igreja e Torre dos , Capela das Almas, Igreja e Convento de São Bento da Vitória, Cadeia da Relação, Edifício da Alfândega, Museu Soares dos Reis, Coliseu do Porto, Teatro Nacional de São João, mas também, mais contemporaneamente, Casa da , Casa de Chá de Leça da Palmeira, Edifício Vodafone, Museu de Arte Contemporânea, etc.
Entre os portuenses famosos contam-se, além do já citado Manoel de Oliveira, personalidades como Agostinho da Silva, Almeida Garrett, Álvaro Siza Vieira, Aurélio Paz dos Reis, Carlos Tê, Duque da Ribeira, Francisco Sá Carneiro, Guilhermina Suggia, Manuel António Pina, Miguel Guedes, Pedro Abrunhosa, Rosa Mota, Rui Reininho, Sérgio Godinho, Sophia de Mello Breyner Andresen, etc.
As atividades económicas são aquelas que permitem ao ser humano obter o seu sustento e satisfazer as suas aspirações. Fundamentais nas atividades económicas são as estruturas existentes.
As principais estruturas da região são o aeroporto, o porto de Leixões, a rede viária (autoestradas, Via de Cintura Interna, Estrada da Circunvalação), dois terminais rodoviários e as linhas de caminho de ferro. Algumas das principais empresas do país situam-se nesta região: Grupo Amorim, Bial, Efacec, Lactogal, Metro do Porto, Porto Editora, Sonae, STCP, Unicer, etc. Trata-se da única região do país que exporta mais do que aquilo que importa. Entre Porto e Gaia existem ainda várias pontes. Arrábida, Freixo, Infante, D. Luís e D. Maria.
Em termos de serviços de saúde, existem vários hospitais e outros serviços importantes na cidade e nos seus arredores: Santo António, São João, Prelada, Pedro Hispano, CMIN, Hospital Militar e IPO, além de hospitais privados, como Luz Arrábida, Luz Porto e Boavista.
Em matéria de Educação, a cidade tem a do Porto e o Instituto Politécnico do Porto, além de várias universidades e institutos superiores privados.

 

 

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.